twitter


Introdução

Muitos e variados são os projetos e idéias que pedagogos, especialistas em educação, políticos e muitos, muitos outros, apresentam como os melhores e os ideais para educar a juventude. Contudo, e porque somos um elo por excelência, é a nós que compete interpretar o querer da comunidade e adaptá-lo ao nosso contexto escolar, no tempo e no mundo em que vivemos, para formar cidadãos conscientes, responsáveis, solidários e interventivos. Contudo não queremos ser meros executantes de políticas educativas.
- Há que entender a essência e a dinâmica do mundo de hoje com toda a sua complexidade;
- Há que perceber o nosso papel no nosso país e na nossa comunidade;
- Há que assumir esse papel com responsabilidade e humildade;
- Há que contar com as potencialidades e limitações de todos e de cada um de nós;
- Há que pensar e questionar;
- Há que criticar e contribuir;
- Há que construir projetos consequentes;
- Há que ensinar apresentar;
- Há que aprender e ensinar;
E há que objetivar, com rigor, a operacionalização dos currículos estabelecidos a nível nacional e trabalhar para adaptá-los às condições e anseios da nossa escola, e de cada um dos nossos alunos, estabelecendo prioridade. Há que desenvolver, com disciplina, o trabalho planeado e ser exigente na avaliação e regularização desse trabalho.

"O Serviço público só é viável onde, a todos os níveis, se manifesta a responsabilidade vigilante, ativa e livre, pelo bem comum da sociedade."
(M. Lourdes Pintassilgo, In Visão)


RELAÇÃO DE PROFESSORES (TUTORES) E TURMAS

Profª Cristina - 9ºA
Profª Rejane - 1ºA
Profª Reigiane - 1ºB
Profº Eugênio - 2ºA
Profª Ana Maria - 2ºB
Profº Hamilton - 3ºA
Profº Alexandre e Nathália - 8ºA
Profº Júnior - 9ºB
Profª Ana Maria - 1ºC
Profº Bartolomeu e Lorena - 2ºC
Profº Eugênio - 3ºB



A Educação no Brasil

Loading...

HISTÓRICO DA ESCOLA

A Escola de Ensino Fundamental e Médio Deputado Fausto Aguiar Arruda, sediada à Avenida XXVI, s/nº, Setor “H”, Conjunto Jereissati II, Município de Pacatuba – Ceará, criada pelo Decreto nº 17033 de 11 de janeiro de 1985, com publicação no D.O.E. nº 13893 de 14 de janeiro de 1985 é uma instituição própria de educação escolar pertencente à Rede de Ensino Oficial do Estado, mantida pelo Governo do Estado do Ceará e subordinada técnica e administrativamente à Secretaria de Educação Básica – SEDUC, sob a jurisdição da 1ª Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação – 1ª CREDE, com sede no Município de Maracanaú, oferecendo Cursos da Educação Básica, na modalidade do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano), Ensino Médio e de Educação de Jovens e Adultos pela via de Curso Supletivo para alunos que se encontram com defasagem de aprendizagem, fora da idade própria, de acordo com a legislação vigente.

A Escola de Ensino Fundamental e Médio Deputado Fausto Aguiar Arruda traduz seu objetivo maior através da sua Missão, Visão de Futuro e Valores:

  1. A Nossa Missão é formar pessoas verdadeiramente humanizadas e felizes, ou seja, pessoas com ética, princípios e projeto de vida, para que possam como sujeitos atuar de maneira construtiva, efetiva e responsável na construção de uma sociedade mais solidária.

  2. Visão de Futuro - Seremos uma escola voltada para formação do cidadão garantindo a qualidade do ensino, respeitando e valorizando cada indivíduo de forma participativa e inovadora.

  3. Valores:

    1. Qualidade no ensino – Valorizamos o nosso educando oferecendo a melhor qualidade no ensino;

    2. Respeito à cidadania – Respeitamos cada pessoa dentro da escola, dando oportunidade do exercício da cidadania;

    3. Participação – Trabalhamos em conjunto valorizando a contribuição de cada pessoa da escola e comunidade;

    4. Inovação – Inovamos sempre as práticas efetivas de sala de aula e organização da escola.


Conforme pesquisa em dados firmados nos Relatórios, dividimos em períodos a administração dos seguintes profissionais:

► 1985 a 1986 – Diretora Maria do Socorro Tavares Cavalcante;

► 1987 a 1988 – Diretora Maria Ivanilda da Silva Araújo;

► 1989 a 1995 – Diretora Francisca Gizelia Costa;

► 1996 a 2004 – Diretora Maria das Graças Silveira de Paula;

► 2005 a 2008 – Diretora Eliana Gondim Sampaio;

► 2009 até atualmente – Diretor Carlindo Bezerra da Silva;

De 1985 a 1992, foram foram ofertadas turmas da Educação Infantil a 4ª Série do Ensino Fundamental. Em 1993, ofertamos turmas do Ensino Fundamental II (5ª a 7ª Séries), iniciando em 1996, as turmas de 8ª Série, formando nossos primeiros concludentes do Ensino Fundamental.

Em 1998, foram formadas as primeiras turmas de Ensino Médio, sob a direção da Professora Maria das Graças Silveira de Paula, 05 (cinco turmas) de 1ª Série do Ensino Médio com 233 alunos matriculados. Foi a primeira a introduzir o Ensino Médio no Jereissati, em Pacatuba.

Através do Decreto Nº 25.873 de 10 de maio de 2000, a Escola antes denominada Escola de 1º Grau Deputado Fausto Aguiar Arruda, com a implantação do Ensino Médio, passou doravante a denominar-se: ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DEPUTADO FAUSTO AGUIAR ARRUDA.

Deputado Fausto Aguiar Arruda

Deputado Fausto Aguiar Arruda

Biografia

Fausto Aguiar Arruda nasceu em 19 de dezembro de 1925 na localidade de Barrento no município de Itapipoca, estado do Ceará, entretanto, foi registrado em Massapê, cidade na qual sua família era originada e onde passou a maior parte de sua infância e de sua adolescência. Seu pai, Ricardo José de Arruda era casado em segundo matrimônio com Maria da Conceição Aguiar Arruda da qual Fausto era o segundo filho. Juntos, o primeiro e o segundo matrimônio Ricardo José de Arruda teve 27 filhos. Ricardo era tropeiro, atividade das pessoas que transportavam mercadorias no lombo de burros e jumentos já que naquela época quase não havia caminhões.

Já aos oito anos Fausto passou a acompanhar o pai e os irmãos em viagens de até quinze dias entre o sertão e o litoral norte cearense transportando rapadura, cal virgem, peixe seco, fumo, chapéu de palha e outras mercadorias. Durante muitos anos de sua infância e de sua adolescência esteve envolvido nesta atividade, fato que impediu a sua escolaridade e debilitou sua saúde. Desde criança, portanto, desenvolveu o senso da responsabilidade, do trabalho coletivo e do companheirismo.

Por volta dos 18 anos transferiu-se para Fortaleza onde passou a Trabalhar na Casa Arruda, uma sapataria da qual um de seus irmãos mais velhos era sócio. Aí passou a estudar à noite chegando a concluir o quinto ano primário, hoje fundamental. Daí para frente Fausto passou a ser autodidata. Foi como comerciário, vendendo sapatos, que veio a conhecer Maria Helena Lima Meireles uma jovem do município de Tauá que estudava em um internato em Fortaleza. Após um período de namoro e noivado aconteceu o casamento em 19 de março de 1949. Dessa união que durou até a sua morte nasceram nove filhos, quatro homens e cinco mulheres, todos criados numa vida simples e austera, mas com muita dedicação e centrada, principalmente, na educação pelo exemplo. Seus filhos são, pela ordem de nascimento, Helena Mary, Vera Celi, Fausto Filho, Alexandre Jefferson, Ricardo Antonio, Jackson, Dayse Maria, Denise Maria e Diana Maria.

Após o casamento passa a trabalhar em uma serraria, de onde sai em 1953 para montar a sua loja de móveis denominada de Movelaria Natal instada à Rua Barão do Rio Branco 1303, no centro de Fortaleza. Nesta atividade criou um vasto círculo de clientes, pois, como acreditava nas pessoas, vendia as mercadorias sem exigir o fiador, principalmente para as famílias que estavam chegando do interior e não tinham referência na capital. Esta atitude, por outro lado, não impediu que recebesse muitos calotes, fato que contribuiu para o não desenvolvimento de sua atividade comercial que se encerrou por volta de 1963.

Como autodidata Fausto nunca parou de estudar formando, pouco a pouco, uma grande biblioteca com imensa variedade de livros de autores tanto brasileiros como estrangeiros. Literatura, enciclopédias, dicionários e livros especializados em história, economia, política, sociologia, filosofia, cooperativismo, municipalismo, mercado de capitais, Psicologia e psicocibernética. Em suas leituras ele praticamente dialogava com o autor do livro ao grifar as partes que considerava mais importantes e escrevia ao lado suas impressões, concordâncias e discordâncias.

Quando se dedicava a uma determinada atividade não gostava de ficar na superficialidade: comprava os livros e se tornava, praticamente, um especialista. Foi assim quando participou da fundação da Cooperativa Suburbana de Consumo, iniciativa a qual gerenciou de 1962 a 1968. Da mesma forma quando se elegeu vereador em 1966 e 1972 aprofundou de tal maneira nas questões do município de Fortaleza e no municipalismo de modo geral que passou a ser uma autoridade no assunto. Em 1969, sob o regime militar, a Câmara Municipal foi fechada, interrompendo suas atividades como vereador. Foi trabalhar com mercado de capitais logo após participar de dois cursos de formação passou a ser instrutor dos referidos cursos. Como deputado estadual de 1974 a 1981, debruçou-se sobre o conjunto dos problemas do estado do Ceará com tamanha profundidade que era chamado a discutir questões específicas da educação, da saúde, da indústria, da agricultura e de outras áreas do interesse do povo cearense. Na última etapa se sua vida dividia as atividades parlamentares com o estudo da psicocibernética ou cibernética mental. Numa época em que, no Brasil, quase ninguém falava de neurociência ou de neurolinguística ele já proferia palestras e ministrava cursos sobre as potencialidades do cérebro humano, juntamente com o Neurologista Maurício Benevides.

Seu gosto pela atividade política vem desde a juventude, acompanhando a luta de seu irmão mais velho Francisco Vasconcelos Arruda eleito deputado estadual em 1954 e ajudando ao irmão I!lais novo Manoel Aguiar de Arruda a se eleger vereador em 1962. Acompanhava de perto as lutas nacionais e se engajava nos movimentos de caráter nacionalistas. Com o golpe militar de março de 1964 seus dois irmãos foram cassados e presos pelos militares que passaram a perseguir a todos que lutavam por um Brasil livre do domínio dos latifundiários, da grande burguesia e do imperialismo norte americano. Nas eleições de 1966 ele então se elege vereador, perde a eleição para deputado em 1970, volta à Câmara Municipal em 1972 e se elege deputado estadual em 1974 voltando em 1978, falecendo no exercício do mandato em 1981.
Durante sua atuação tanto como vereador como deputado estadual foi destacado seja por seus colegas seja pela imprensa que acompanhava os trabalhos legislativos como exemplo de um político sério, honesto e incorruptível. Essa postura lhe rendeu vários inimigos entre aqueles que queriam aproveitar a política para tirar benefícios pessoais ou para grupos econômicos. Destemido, ele ocupava a tribuna para denunciar qualquer tentativa de corrupção ou desmando com o dinheiro público, tendo por conta disto recebido, inclusive, ameaça de morte. Também, ao denunciar as torturas, prisões e assassinatos praticados pelo regime militar ele receberia várias ameaças de prisão e cassação de seu mandato pelos chefes militares de então.